Filmes e Séries

The Tudors

the-tudors-sc3a9rie-soniassrj1

Fim de semana bateu na sua janelinha e está procurando uma série bem legal para maratonar ?

Taí uma série que te deixa grudadinha no sofá por horas, para quem não sabe do que se trata, “The Tudors” é um série que aborda o reinado de Henrique VIII da Inglaterra. Contando com ótimos valores de produção, a série do canal Showtime (a mesma produtora de “Dexter“, para mim a melhor série da atualidade) tem feito sucesso e conseguiu chegar agora à sua quarta temporada. Que, por sinal, anda bem interessante. Falarei um pouco dessa caprichada produção a seguir, mas fique avisado desde já que o texto contém alguns spoilers. Digo, “spoilers” para quem desconhece totalmente os acontecimentos históricos daquele período. Caso contrário, nada do que direi aqui será novidade.

Inicialmente, a premissa de “The Tudors” era mostrar as apimentadas aventuras amorosas e sexuais da corte de Henrique VIII. Mas, com o tempo, a série veio a se tornar mais do que isso, colocando os romances em um segundo plano e dando maior enfoque às intrigas religiosas e políticas. No período em que “The Tudors” se inicia, somos apresentados a Henrique VIII (vivido por Jonathan Rhys Meyers, de “Match Point“), então casado com Catarina de Aragão (Maria Doyle Kennedy, num papel que lhe rendeu um IFTA Award), princesa de Espanha, católica convicta e adorada pela população inglesa. Apesar de acomodado no casamento, o rei não era exatamente flor que se cheire. Do tipo “limpa trilho”, não perdoava nenhum rabo-de-saia, nem mesmo as casadas. Não deve ter sido fácil para a rainha carregar os chifres que o importante consorte lhe colocava.

c7ec7396d58315319ae30f227dde4ec2--period-costumes-movie-costumes
Catarina de Aragão (Maria Doyle Kennedy)

Num belo dia, Henrique pôe os olhos em uma desconhecida dama da corte, que imediatamente lhe chama a atenção. Trata-se de Ana Bolena (interpretada pela bicuda Natalie Dormer), a bela filha de Thomas Bolena, Conde de Wiltshire. O Rei logo se pôe a cortejar a moça, e Ana não demora a corresponder o interesse, mas sendo inteligente como era (e também orientada pelo pai interesseiro), trata de proteger a perseguida, mantendo assim o interesse do seu pretendente, e não se tornando apenas mais uma na longa lista de conquistas reais. A aposta aqui é alta: Ana quer ser nada mais, nada menos, que a Rainha da Inglaterra, colocando Catarina de Aragão para escanteio. Rala e rola, portanto, só depois do véu e grinalda e aliança no dedo.

de54e27f84fee4bc972b30db270a946d
Ana Bolena (Natalie Dormer)

Henrique VIII, louco de amor (e de tesão), decide pedir a anulação do seu atual casamento, já que sem isso não poderia unir-se a Ana Bolena e assim consumar a relação. Para sua raiva, a Igreja Católica, após longo debate, comete a temeridade de recusar o pedido real. Para ela, casou, tá casado, agora não reclame – mesmo sendo um rei. É a oportunidade perfeita para Thomas Cromwell, conselheiro real e intrigante de plantão, soprar idéias protestantes na orelha atenta de Henrique. O plano é ousado e sem precedentes: romper em definitivo com os empata-fodas da Igreja Católica e assim acabar com a submissão do rei inglês ao Papa. Em substituição, seria fundada a Igreja da Inglaterra, devidamente assentada sobre ideais protestantes, e na qual o Rei seria a autoridade suprema, decidindo o que melhor lhe conviesse em assuntos religiosos. Inclusive anulações de casamento.

A partir daí, a série prossegue acompanhando a evolução das intrigas políticas, religiosas e amorosas, a oposição de Roma e da Espanha (que não queria ver Catarina destronada), a ascensão dos protestantes e de Ana Bolena nas graças do Rei, e o duelo Thomas Cromwell versus Thomas More. E, claro, não podemos esquecer, Henrique VIII fazendo o que sabia fazer melhor: berrar com os subordinados, eliminar opositores e traçar qualquer ser vivente com dois cromossomos X.

Na segunda temporada vemos o período de consolidação de poder da Igreja Anglicana, a subsequente perseguição aos católicos, as tramas do papado para frustrar a revolução em andamento na Inglaterra, o sacrifício de Thomas More, o aparecimento de Jane Seymour. Mais importante, acompanhamos o breve triunfo e a rápida queda dos Bolena. Cabeças irão rolar. (Literalmente)

Bom chega de “spoilers” quem quiser saber do restante da serie corre e vai assistir.

No brasil ela esta sendo transmitida pelo canal RedeTV, mas para quem é assinante Netflix lá estão disponibilizadas as quatro temporadas.

 

Anúncios
Sem categoria

Meu Ruivo Acobreado: Igora 8.77

Meta de cor!
É essa cor é dos meus sonhos, estou quase lá!
vou pintar no próximo mês e vou mostrar tudo aqui!
bjss..

Luz, Câmera, Textão

Olá pessoas!

Finalmente um post sobre a cor do meu cabelo, demorou um pouco pois estava esperando desbotar o máximo possível pra pintar ele todo de novo na esperança de corrigir algumas manchas que estavam me incomodando muito. Já vou deixar um alerta aqui, se você está na saga ruiva e acabou descolorindo seu cabelo pra chegar no tom dos seus sonhos já deve ter percebido que é praticamente impossível deixar ele uniforme né? É até um pouco óbvio na verdade, se sua raiz virgem é escura ela dificilmente vai chegar no tom do comprimento que foi descolorido, essa parte sempre ficará mais clara, e eu não acho legal ficar descolorindo a raiz sempre que for pintar, na verdade eu recomendo a descoloração em último, dos últimos dos casos, eu mesma acabei descolorindo porque meu ruivo aconteceu devido a um ombré hair que deu super errado. Decidi desencanar da minha…

Ver o post original 317 mais palavras

Sem categoria

Grito Silencioso de um Alguém Perdido

download
“Sabe aquele texto que a gente escreve tendo todos os motivos do mundo e razão alguma de existir? Aquele desabafo tão íntegro de palavras e ao mesmo tempo tão limitado e sem conteúdo? Um vazio tão cheio de porquês e sem nenhuma resposta? Uma vontade imensa de gritar e não saber ao certo o que? Uma ânsia de conhecer o mundo, mergulhar fundo, mas não achar o começo do fio? Assim que me sinto. Feito peixe fora d’água, um misto de sei lá o que com coisa alguma. Sabendo da obrigação de decidir por onde ir, onde chegar e por onde percorrer, mas sem norte. Aquele misto de monotonia com incertezas. Uma revolta deverás engraçada, sambando com a impaciência origem de minha ansiedade. Para onde ir? Quando ir? Fico inerte? Sigo em frente? Não posso responder, mas minha mente insiste em questionar.”

karina boldoro

Gente encontrei esse texto da Karina e nunca tinha visto um texto que falasse tudo que eu sinto como esse fala. tem dias que a gente só pensa em sumir. Sem saber o que fazer como seguir em frente, e se eu for e quebrar a cara? e se eu não conseguir? o que vou fazer?